Merck

Microextração em fase sólida (SPME)

A microextração em fase sólida (SPME) é uma tecnologia inovadora e sensível para preparo de amostras sem o uso de solventes. Com base no princípio de adsorção/absorção e dessorção, a SPME usa uma fibra revestida para concentrar os compostos voláteis e semivoláteis de uma amostra.

A SPME é amplamente usada para diversas aplicações que envolvem amostras ambientais, biológicas e farmacêuticas, alimentos e bebidas, flavorizantes e aromatizantes, além de testes forenses, toxicológicos e de produtos. Seus usos típicos incluem:

  • Análises ambientais de amostras de água e ar
  • Análise por headspace de impurezas em níveis de traço em polímeros e amostras sólidas
  • Análises de odores em partes por trilhão
  • Análises de flavorizantes em produtos alimentícios
  • Análise forense de amostras provenientes de incêndios criminosos e de explosivos
  • Análises toxicológicas de álcool no sangue ou drogas na urina e soro

Encontre cromatogramas

Busca de cromatogramas


Artigos técnicos relacionados

Protocolos relacionados


Como a SPME funciona?

A SPME usa uma fibra revestida com uma fase de extração: um líquido (polímero), um sólido (sorvente) ou uma combinação de ambos. A fibra revestida fica alojada em uma agulha protetora e conectada a um suporte que parece com uma seringa.

Quando a fibra é exposta a uma amostra, os analitos da amostra se separam da matriz da amostra para a fase estacionária até que um equilíbrio seja estabelecido. O revestimento da fibra extrai compostos da amostra por absorção (revestimentos líquidos) ou adsorção (revestimentos sólidos). Após o tempo de extração indicado, a fibra é removida e inserida diretamente em um instrumento cromatográfico, geralmente de cromatografia gasosa (GC) ou HPLC, para dessorção e análise. A dessorção de analitos na GC é realizada termicamente, enquanto a HPLC usa um solvente para dessorção em uma fase líquida.

Vantagens da SPME

A SPME combina amostragem, isolamento e enriquecimento de analitos em uma única etapa simples. Controlando a polaridade e a espessura do revestimento da fibra, mantendo o tempo de amostragem consistente e controlando diversos outros parâmetros de extração, a SPME permite que o analista garanta resultados altamente consistentes e quantificáveis a partir das amostras, mesmo quando os analitos estão em baixas concentrações.

Outros benefícios da SPME incluem:

  • Não usa solvente
  • Fácil automação
  • Não destrutiva para amostras
  • Aplicável a quase qualquer amostra ou matriz
  • As fibras usadas são reutilizáveis e baratas
  • O pequeno tamanho da fibra faz com que seja oportuna para trabalho de campo
  • Compatível com instrumentos para GC ou HPLC

Fibras para SPME para análise por GC

A SPME convencional é usada para extrair e concentrar analitos para análise por GC. A extração é realizada por imersão direta (DI-SPME), em que a fibra é diretamente imersa na amostra líquida, ou SPME de headspace (HS-SPME), em que a fibra é exposta na fase de vapor acima de uma amostra.

BioSPME da Supel™ para análise por LC-MS

A BioSPME da Supel™ é uma técnica de preparo de amostras e microamostragem bioanalítica usada para extrair de forma rápida e seletiva diversos analitos de amostras biológicas e, ao mesmo tempo, repelir macromoléculas indesejadas (p. ex., lipídios, proteínas). A análise posterior geralmente é realizada por LC-MS. A BioSPME da Supel™ opera por extração direta, sem envolver pré-tratamento da amostra, e fornece uma extração baseada em equilíbrio e não exaustiva.





Vídeos relacionados