Merck

Transfecção e edição gênica

Células transfectadas para estudos de função gênica e expressão proteica

Transfecção é o processo de introdução de ácidos nucleicos em células eucarióticas. As células podem ser transfectadas de modo estável para a integração do DNA em seu genoma ou de modo transitório para expressão proteica com duração temporária. Métodos químicos, físicos e biológicos são usados para transfectar as células, possibilitando o estudo de função e expressão gênica em um ambiente celular. As aplicações incluem terapia gênica, geração de células-tronco pluripotentes induzidas (CTPi), silenciamento gênico por interferência de RNA (RNAi) e produção de anticorpos e proteínas terapêuticos.    


Artigos técnicos relacionados

  • Transfection is the introduction of DNA, RNA, or proteins into eukaryotic cells and is used in research to study and modulate gene expression. Thus, transfection techniques and protocols serve as an analytical tool that facilitates the characterization of genetic functions, protein synthesis, cell growth and development.
  • Browse our convenient transfection reagent selection guide to match the best reagent for your specific cell line and application needs.
  • Automation is used for many applications to reduce variation caused by manual handling and to obtain reproducible results in high-throughput assays. High-throughput applications, such as knockdown studies or target screenings, often include cell transfection.
  • Small inhibitory RNAs (siRNAs) have become the focus of interest in many laboratories. For the first time, these molecules offer an easy way to knock down the expression of selected genes in mammalian cells without having to resort to classical gene knockout techniques.
  • Get tips for handling lentiviruses, optimizing experiment setup, titering lentivirus particles, and selecting helpful products for transduction.
  • Ver todos (20)

Protocolos relacionados

Encontre mais artigos e protocolos


Métodos comuns de transfecção

  • Lipídios e lipossomos: Lipídios catiônicos formam lipossomos que contêm DNA ou RNA para entrega. Esses lipossomos se fundem com a membrana celular e liberam ácido nucleico na célula.
  • Fosfato de cálcio: O fosfato de cálcio facilita a ligação do DNA à superfície celular, permitindo que o material genético entre na célula por endocitose.
  • Polímeros catiônicos: Na transfecção à base de polímeros, o DNA exógeno forma complexos com polímeros catiônicos, como a polietilenimina (PEI), que entram nas células hospedeiras por endocitose.
  • Transdução com lentivírus: As células são infectadas com vetores lentivírus modificados, os quais convertem seu RNA viral em DNA dupla-fita para integração no genoma do hospedeiro para entrega.
  • Microinjeção: As células-alvo são posicionadas primeiramente em um microscópio. Em seguida, o ácido nucleico é injetado diretamente no citoplasma ou núcleo com o uso de uma agulha fina de capilar de vidro.
  • Eletroporação: As células são expostas a uma corrente elétrica de alta intensidade que desestabiliza as membranas, aumentando sua permeabilidade para entrega gênica.

A transfecção é usada rotineiramente em técnicas de silenciamento gênico e edição gênica que aprimoraram nossa compreensão sobre processos biológicos complexos e possibilitaram o uso da terapia gênica para tratar doenças.

  • Os sistemas CRISPR-Cas exploram um mecanismo de defesa bacteriana que usa CRISPRs (repetições palindrômicas curtas agrupadas e regularmente interespaçadas) genéticas ligadas a endonucleases Cas (associada às CRISPR) para cortar DNA genômico em posições desejadas e remover ou substituir genes in vivo.
  • As nucleases dedo de zinco (ZFNs) construídas são feitas de domínios de ligação de DNA e endonucleases e clivam o DNA nos sítios-alvo para edição gênica.
  • Reagentes para RNAi, como pequenos RNAs de interferência em forma de grampo (shRNAs) e pequenos RNAs de interferência (siRNAs), limitam os níveis de transcritos gênicos para silenciamento gênico por supressão da transcrição ou ativação de processos de degradação de RNA específicos para determinadas sequências.




Faça login para continuar

Para continuar lendo, faça login ou crie uma conta.

Ainda não tem uma conta?