Merck

Ensaios de atividade enzimática

Princípios de um ensaio de atividade enzimática

Os ensaios de atividade enzimática são predominantemente realizados pelos pesquisadores para identificar a presença ou a quantidade de uma enzima específica em um organismo, tecido ou amostra. Exemplos dessas enzimas incluem α-amilase, catalase, lacase, peroxidase, lisozima e as enzimas repórteres fosfatase alcalina e luciferase. Diversos reagentes e metodologias estão amplamente disponíveis e permitem a investigação de interações específicas entre enzima e substrato. A escolha de uma solução adequada de fluxo de trabalho depende da sensibilidade de que o pesquisador necessita. Soluções colorimétricas são úteis para detecção, enquanto os reagentes à base de fluorescência são mais adequados para a quantificação da atividade enzimática.   

Determinando as condições ideais para atividade enzimática

Embora vários ensaios enzimáticos tenham sido descritos na literatura, é necessário modificar esses procedimentos para os requisitos exclusivos da enzima em investigação. A atividade específica de uma enzima depende de inúmeros fatores, incluindo pH, temperatura, força iônica e concentração de todos os componentes no ensaio. Para condições como pH, a atividade enzimática frequentemente se assemelha a uma curva de distribuição normal. A maior atividade em um pH específico é relatada como a Vmáx, com atividade decrescente observada em ambas as extremidades da curva. Algumas enzimas podem requerer considerações adicionais para compostos que não estão diretamente envolvidos com a reação, como íons metálicos, detergentes e moléculas hidrofóbicas.


Artigos técnicos relacionados

  • Learn about compound library screening and explore our compound libraries, including our Library of Pharmacologically Active Compounds (LOPAC®1280) portfolio to experience the gold-standard collection of biologically annotated, ready-to-screen compounds.
  • Cholesterol undergoes esterification to improve transport. Cholesterol esters are more easily packaged into the interior of lipoproteins - increasing the quantity that can be readily transported in the blood stream.
  • Complete List of Enzyme Commission Numbers for metabolics research.
  • Cathepsin B is a lysosomal cysteine proteinase with broad specificity. This protocol uses Nα–CBZ–Arg–Arg–7–amido–4–methylcoumarin as the substrate for fluorometric detection of Cathepsin B activity.
  • Firefly luciferase is a widely used bioluminescent reporter for studying gene regulation and function. It is a very sensitive genetic reporter due to the absence of endogenous luciferase activity in mammalian cells or tissues.
  • Ver todos (29)

Protocolos relacionados

Encontre mais artigos e protocolos


Componentes de ensaios enzimáticos

Para muitas enzimas, a água é o solvente padrão, pois corresponde ao mesmo ambiente aquoso encontrado nas células. No entanto, solventes orgânicos são usados em alguns casos em que enzimas ou componentes enzimáticos são insolúveis em água. Além disso, substratos e cofatores, catalisadores de reações enzimáticas, também são componentes críticos em um ensaio de atividade enzimática. Os substratos e cofatores são frequentemente identificados com base em suas funções em condições fisiológicas. Assim, os substratos e cofatores interagem amplamente e podem ser necessários para diversas enzimas. Os tampões e íons são elementos críticos adicionais a serem considerados, pois são essenciais para estabilizar o pH ao longo do ensaio e influenciam diretamente a atividade enzimática. Por exemplo, íons metálicos mono ou bivalentes podem ser necessários para a atividade catalítica dos cofatores na reação e são essenciais para a atividade enzimática.

Realização de um ensaio enzimático

O preparo dos componentes do ensaio enzimático é uma primeira etapa prática. Em geral, é vantajoso preparar um grande volume de mistura de ensaio, excluindo um componente ativador, para evitar erros de pipetagem, que são inevitáveis quando se pipeta volumes pequenos. Uma vez que a mistura de ensaio é preparada, os pesquisadores adicionam o componente de ativação final à mistura para iniciar o ensaio de atividade. O pré-tratamento da enzima armazenando-a em baixas temperaturas e, muitas vezes, incluindo vários aditivos químicos ou proteicos, são fatores críticos para garantir a estabilidade enzimática e maximizar a atividade antes do início do ensaio. Após os materiais de reação serem combinados em um recipiente de observação, todos os componentes devem ser misturados com rapidez e rigor à medida que a reação inicia. O registro de dados deve começar imediatamente após a mistura, e o sinal detectável do ensaio deve ser plotado durante todo o tempo da reação.



Faça login para continuar

Para continuar lendo, faça login ou crie uma conta.

Ainda não tem uma conta?