Merck

Reagentes para dissociação celular

Microscopia de campo claro do progresso de desprendimento celular com reagentes de dissociação

Para replicar seus ambientes nativos, células com fenótipos de células aderentes (como células epiteliais), em geral, são inoculadas em superfícies tratadas para cultura de tecidos, às quais elas se fixam para sobreviver e proliferar. Para propagação, contagem e análise a jusante (downstream), as células aderentes e células de tecidos sólidos devem se dissociar para criar suspensões. Suspensões de células únicas são necessárias para contagem celular, reinoculação para subcultura e ensaios/análises celulares.

Reagentes de dissociação incluem enzimas de ocorrência natural, alternativas não enzimáticas mais brandas, ou podem atuar como quelantes de cálcio para impedir que caderinas se fixem, desprendendo as células das superfícies e umas das outras. Reagentes para dissociação celular podem ser específicos para substratos de matriz extracelular (MEC).

Nossa coleção completa de reagentes para dissociação celular inclui:

O reagente de desprendimento celular tripsina StableCell™ mantém atividade estável em temperatura ambiente

Tripsina, tripsina recombinante, tripsina StableCell™

A tripsina é uma protease de serina e uma das enzimas de desprendimento mais comuns usadas com linhagens celulares aderentes e para dissociação de tecidos. Preparados de tripsina bruta comumente eram considerados mais eficientes para ambas as aplicações, mas incubar células com uma alta concentração de tripsina ou por muito tempo pode danificar as membranas celulares e matar as células. As células cultivadas, em geral, são removidas do substrato de cultura por tratamento com tripsina em combinação com EDTA (ácido etilenodiamino tetraacético), em que a concentração de tripsina pode variar de 0,025% a 0,5%.

As soluções de tripsina StableCell™ foram desenvolvidas para desprender as células da mesma forma que as soluções de tripsina padrão fazem, sem a necessidade de separar alíquotas, congelar e descongelar a tripsina. Isso economiza um tempo significativo porque dispensa a necessidade de separar alíquotas e esperar que a tripsina descongele para repicagem de células ou experimentos e libera um espaço valioso nos congeladores do laboratório. Nossas soluções de tripsina StableCell™ são recomendadas para armazenamento entre 2 ºC e 8 °C, mas nossos estudos indicam que a tripsina StableCell™ retém > 90% de atividade e desempenho mesmo quando armazenada a 37 °C.

Colagenase e dispase

A colagenase cliva as ligações peptídicas em colágeno nativo tripla-hélice. Devido à sua capacidade única de hidrolisar o colágeno nativo, ela é amplamente utilizada no isolamento de células de tecidos animais. Colagenases ocorrem em vários microrganismos e em muitas células animais diferentes. A mais potente é a colagenase “bruta” secretada pela bactéria anaeróbica Clostridium histolyticum.

Dispases são proteases rápidas, eficazes, brandas e neutras capazes de separar camadas epiteliais intactas em cultura do substrato. A dispase I foi usada para digerir tecido pulmonar e processar células para coloração de fluxo, bem como para isolamento de células T CD4 de redores.

Reagentes de dissociação para culturas especializadas

Para dissociar ou desprender tipos de células e tecidos que podem requerer atividade enzimática mais branda, as soluções Accutase® e Accumax™ usam enzimas eficientes em concentração mais baixa. Estas soluções:

  • Desprendem de forma eficaz células-tronco embrionárias e neuronais
  • Desprendem suavemente para preservar a viabilidade celular e podem aumentar o rendimento celular
  • Não requerem neutralização

Produtos

Sort by Relevance
Showing 1-20 of 37
Page 1 of 2
Page 1 of 2
Showing 1-20 of 37
Compare
Product Number
Product Description
Pricing
Page 1 of 2
Page 1 of 2